Bioinformaticos

Consejos | Recomendaciones | Revisión

Como Fechar O Soro Quando Acaba?

Quando acaba o soro tem que fechar?

Qual o armazenamento adequado, e qual o prazo de validade do soro fisiológico após aberto? | 4 junho 2019 | ID: sofs-41816 O soro fisiológico deve ser armazenado em temperatura ambiente (15ºC a 30ºC) e o prazo de validade é determinado pelo fabricante de acordo com a data de fabricação.

Em geral, os fabricantes determinam 24 meses de validade para esse tipo de produto antes de ser aberto. (1) É importante ler a bula do produto para obter informações adicionais, pois podem existir recomendações diferentes. Além disso, se for necessário, uma boa estratégia é ligar para o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) do fabricante em caso de dúvidas técnicas ou entrar em contato com a referência técnica da Vigilância Sanitária do seu município ou a Vigilância Sanitária Estadual.

(1) Um problema comum nas Unidades de Saúde é o uso parcial do soro fisiológico que permanece aberto por um tempo e é utilizado em outros procedimentos. Não foi encontrada até o momento nenhuma legislação nacional, estadual ou municipal que especifique essa situação.

A informação disponível é que o ideal é manter no próprio frasco, mas não há uma instrução normativa que oriente, recomende ou proíba tal conduta. No caso dos soros para irrigação (comprados em farmácias comerciais para uso doméstico) a maioria dos fabricantes recomenda manter em geladeira por três dias.

(1) Os produtos de uso hospitalar devem ser descartados adequada e imediatamente após o uso. (1) Interpretamos que não se recomenda guardar sobras de volume de um procedimento para usar em outro momento. Por esse motivo, é importante haver disponibilidade de apresentações em volumes diferentes para que se possa calcular a quantidade necessária em cada procedimento a fim de evitar desperdícios.

  • Atributos da APS Integralidade do cuidado: O cuidado integral em saúde supõe a qualidade dos insumos empregados.
  • Isto é fundamental para a correta realização do tratamento e para garantir a segurança das pessoas, com a prevenção de complicações decorrentes do uso inadequado.
  • Material complementar: Telessaude ES.

Vídeo de Webconferência : Manejo de feridas (Aprox.58 min.). Palestrante: Rafael Colodetti (Enfermeiro); Karina Tonini (Debatedora), Apresentado em 03 fev 2014. Disponivel em: : Qual o armazenamento adequado, e qual o prazo de validade do soro fisiológico após aberto?

O que acontece se o soro acabar?

O soro fisiológico é uma solução salina e isotônica que possui diversas funções: limpa ferimentos, higieniza lentes de contato, além de ser bastante usado para aliviar tosse e nariz entupido por meio de aplicação nasal. O produto é acessível, fácil de ser encontrado e muitas vezes presente na geladeira de diversos lares para uso emergencial.

Mas o que pouca gente sabe é que o soro tem data de validade e, depois de aberto, não deve ser mantido por muito tempo. Sua utilização após o vencimento pode provocar problemas de saúde. Soro fisiológico vencido faz mal para a saúde De acordo com informações do Conselho Regional de Medicina, assim como qualquer medicamento, o soro vencido faz mal à saúde e não deve ser usado nos pacientes.

O produto, aplicado fora de seu prazo de validade, pode provocar febre, calafrios, além do chamado choque pirogênico, causado por substâncias estranhas que podem conter no produto vencido. Depois de aberto, o soro deve ser utilizado em, no máximo, 15 dias, já que depois deste período é praticamente certa a contaminação por fungos ou bactérias.

O produto ainda deve ser descartado se não apresentar aparência límpida, incolor ou inodora. É importante ainda manter o soro armazenado na geladeira, já que a baixa temperatura diminui os riscos de proliferação de fungos e outros micro-organismo. O ideal, portanto, é comprar o produto em embalagens pequenas para ser utilizado mais rapidamente, sem desperdício.

(Fonte: Vix) Comente, QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA SEXTA-FEIRA! /*–*/

Quanto tempo pode usar o soro depois de aberto?

Soro fisiológico possui validade? Qual é o prazo do produto? – Conforme você pode perceber, o soro fisiológico tem diversas aplicações e para cada uma delas há uma quantidade específica. Entretanto, esse cuidado quase sempre passa despercebido pelos consumidores, pois o soro em embalagens grandes normalmente custa mais barato do que em pequenas doses.

Porém, as pessoas não avaliam que aquele produto deve ser utilizado dentro de um curto espaço de tempo, pois o soro fisiológico possui validade APÓS ABERTO. Lacrado o produto tem a validade de 18 meses após a sua fabricação. Após aberto, o prazo para consumo passa a ser de apenas 15 dias (mantido sob as condições descritas), isto é, conservado em geladeira.

Se nos atentarmos para esse pequeno prazo, fica fácil perceber que na maioria dos casos, dificilmente uma embalagem grande é utilizada em apenas 15 dias. Ou seja, dependendo da aplicação, o custo-benefício de uma embalagem grande acaba não se justificando.

Como funciona o soro na veia?

A soroterapia é um tratamento endovenoso para reposição de vitaminas. Em outras palavras, é uma forma de nutrir o corpo através da suplementação de vitaminas, minerais e aminoácidos diretamente na veia. A ideia é proporcionar um melhor aproveitamento dos nutrientes.

Pode guardar soro aberto?

O soro fisiológico é uma solução salina e isotônica que possui diversas funções: limpa ferimentos, higieniza lentes de contato, além de ser bastante usado para aliviar tosse e nariz entupido por meio de aplicação nasal. O produto é acessível, fácil de ser encontrado e muitas vezes presente na geladeira de diversos lares para uso emergencial.

  1. Mas o que pouca gente sabe é que o soro tem data de validade e, depois de aberto, não deve ser mantido por muito tempo.
  2. Sua utilização após o vencimento pode provocar problemas de saúde.
  3. Soro fisiológico vencido faz mal para a saúde De acordo com informações do Conselho Regional de Medicina, assim como qualquer medicamento, o soro vencido faz mal à saúde e não deve ser usado nos pacientes.

O produto, aplicado fora de seu prazo de validade, pode provocar febre, calafrios, além do chamado choque pirogênico, causado por substâncias estranhas que podem conter no produto vencido. Depois de aberto, o soro deve ser utilizado em, no máximo, 15 dias, já que depois deste período é praticamente certa a contaminação por fungos ou bactérias.

  1. O produto ainda deve ser descartado se não apresentar aparência límpida, incolor ou inodora.
  2. É importante ainda manter o soro armazenado na geladeira, já que a baixa temperatura diminui os riscos de proliferação de fungos e outros micro-organismo.
  3. O ideal, portanto, é comprar o produto em embalagens pequenas para ser utilizado mais rapidamente, sem desperdício.

(Fonte: Vix) Comente, QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA SEXTA-FEIRA! /*–*/

Como guardar o soro depois de aberto?

Soro fisiológico possui validade? Qual é o prazo do produto? – Conforme você pode perceber, o soro fisiológico tem diversas aplicações e para cada uma delas há uma quantidade específica. Entretanto, esse cuidado quase sempre passa despercebido pelos consumidores, pois o soro em embalagens grandes normalmente custa mais barato do que em pequenas doses.

  1. Porém, as pessoas não avaliam que aquele produto deve ser utilizado dentro de um curto espaço de tempo, pois o soro fisiológico possui validade APÓS ABERTO.
  2. Lacrado o produto tem a validade de 18 meses após a sua fabricação.
  3. Após aberto, o prazo para consumo passa a ser de apenas 15 dias (mantido sob as condições descritas), isto é, conservado em geladeira.

Se nos atentarmos para esse pequeno prazo, fica fácil perceber que na maioria dos casos, dificilmente uma embalagem grande é utilizada em apenas 15 dias. Ou seja, dependendo da aplicação, o custo-benefício de uma embalagem grande acaba não se justificando.

Quanto tempo dura o soro?

Soro fisiológico possui validade? Qual é o prazo do produto? – Conforme você pode perceber, o soro fisiológico tem diversas aplicações e para cada uma delas há uma quantidade específica. Entretanto, esse cuidado quase sempre passa despercebido pelos consumidores, pois o soro em embalagens grandes normalmente custa mais barato do que em pequenas doses.

Porém, as pessoas não avaliam que aquele produto deve ser utilizado dentro de um curto espaço de tempo, pois o soro fisiológico possui validade APÓS ABERTO. Lacrado o produto tem a validade de 18 meses após a sua fabricação. Após aberto, o prazo para consumo passa a ser de apenas 15 dias (mantido sob as condições descritas), isto é, conservado em geladeira.

Se nos atentarmos para esse pequeno prazo, fica fácil perceber que na maioria dos casos, dificilmente uma embalagem grande é utilizada em apenas 15 dias. Ou seja, dependendo da aplicação, o custo-benefício de uma embalagem grande acaba não se justificando.

Pode furar o frasco do soro?

Um profissional de enfermagem, seja o Enfermeiro ou o técnico de enfermagem, sabe exatamente que ‘perfurar um frasco de soro com agulha e mantê-la fixada no frasco’ p/ que a solução continue gotejando é um ato que pode acarretar graves danos ao paciente como, por exemplo: infecção de corrente sanguínea [isso só para

É perigoso entrar ar na veia?

Conceito de embolia gasosa – Com certeza você já ouviu falar que é possível matar uma pessoa injetando ar em sua corrente sanguínea. Diante dessa afirmação, é comum que as pessoas sintam-se amedrontadas todas as vezes que vão tomar uma injeção ou colocar soro na veia, entretanto, nesses procedimentos, os riscos são praticamente nulos.

See also:  Quem Vai Ganhar A Copa Do Mundo De 2022?

A chamada embolia gasosa, também conhecida como embolia por gás, é a obstrução dos vasos sanguíneos em decorrência da presença de bolhas em artérias e veias, Essa condição, apesar de rara, gera mortes em, aproximadamente, 30% dos casos e está associada normalmente a procedimentos médicos, tais como craniotomia, angiografia, ventilação mecânica, cesariana e procedimentos com circulação extracorpórea.

Além disso, pode ocorrer embolia gasosa em acidentes de mergulho, em que pode acontecer a expansão do ar retido nos pulmões do mergulhador no momento da subida. Essa expansão ocorre em razão da diminuição da pressão à medida que ocorre a subida para a superfície.

O que acontece se não guardar o soro na geladeira?

O soro fisiológico é uma solução salina e isotônica que possui diversas funções: limpa ferimentos, higieniza lentes de contato, além de ser bastante usado para aliviar tosse e nariz entupido por meio de aplicação nasal. O produto é acessível, fácil de ser encontrado e muitas vezes presente na geladeira de diversos lares para uso emergencial.

  • Mas o que pouca gente sabe é que o soro tem data de validade e, depois de aberto, não deve ser mantido por muito tempo.
  • Sua utilização após o vencimento pode provocar problemas de saúde.
  • Soro fisiológico vencido faz mal para a saúde De acordo com informações do Conselho Regional de Medicina, assim como qualquer medicamento, o soro vencido faz mal à saúde e não deve ser usado nos pacientes.

O produto, aplicado fora de seu prazo de validade, pode provocar febre, calafrios, além do chamado choque pirogênico, causado por substâncias estranhas que podem conter no produto vencido. Depois de aberto, o soro deve ser utilizado em, no máximo, 15 dias, já que depois deste período é praticamente certa a contaminação por fungos ou bactérias.

  • O produto ainda deve ser descartado se não apresentar aparência límpida, incolor ou inodora.
  • É importante ainda manter o soro armazenado na geladeira, já que a baixa temperatura diminui os riscos de proliferação de fungos e outros micro-organismo.
  • O ideal, portanto, é comprar o produto em embalagens pequenas para ser utilizado mais rapidamente, sem desperdício.

(Fonte: Vix) Comente, QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA SEXTA-FEIRA! /*–*/

O que acontece com o soro fisiológico fora da geladeira?

Conservação de Soro Fisiológico – Ar Ambiente, Geladeira ou Cloreto de Benzalcônio? Physiologic Saline Solution Preservation – Environment, Icebox or Benzalconium Chloride? Palavras-Chave cloreto de benzalcônio, irrigação nasal, soro fisiológico, conservação.

  • Resumo Introdução: A lavagem nasal com soro fisiológico tem sido amplamente utilizada no tratamento das mais diversas afecções nasossinusais.
  • O cloreto de benzalcônio é o conservante mais amplamente utilizado em soluções nasais, oftalmológicas e outras.
  • Objetivo: comparar a conservação do soro fisiológico sem conservantes em geladeira doméstica e no ar ambiente (com e sem vedação) com soluções salinas com conservantes (cloreto de bezalcônio).

Culturas qualitativas seriadas de amostras de soro fisiológico sem conservantes e soluções salinas com conservantes (cloreto de benzalcônio) por 28 dias. Resultados: Houve 3 amostras contaminadas que pelas suas características sugerem contaminação na coleta do material.

Conclusão: Não há contaminação do soro fisiológico mesmo quando ficar aberto em ar ambiente por até 28 dias, desde que se mantenha condições assépticas no seu uso. Keywords benzalconium chloride, nasal irrigation, physiologic saline solution, conservation Abstract Introduction: Nasal irrigation with physiologic saline solution has been used as an adjunctive treatment of sinonasal disease.

For most multiuse aqueous nasal, ophthalmic, and otic products, benzalkonium chloride (BKC) is the preservative of choice. Objective: To compare preservation of physiologic saline solution without preservatives in home icebox and in the environment (with/without enclouse) with saline solutions with preservations (benzalconium chloride).

  • Methods: Serial qualitatives cultures from samples of physiologic saline solutions with/without BKC and kept in icebox and envinronment in 28 days.
  • Result: There were three contaminations, but sugest contamination in collect of the material.
  • Conclusions: There was not contamination of the physiologic saline solutions, despite opened in the environment till 28 days.

but they have to kept aseptic conditions for them management. Introdução A lavagem nasal com soro fisiológico tem sido amplamente utilizada no tratamento das mais diversas afecções nasossinusais e no pós-operatório de vários procedimentos cirúrgicos do nariz e seios paranasais 1,2,

  • Alguns mecanismos explicam o efeito benéfico do soro fisiológico em afecções nasossinusais: 1- melhora do transporte mucociliar; 2- diminuição da viscosidade do muco; 3- diminuição do edema da mucosa; 4- influência sobre mediadores inflamatórios; 5- limpeza mecânica de crostas e debris 1,3,4,5,
  • O soro fisiológico (NaCl 0,9%) é uma solução isotônica em relação aos líquidos corporais que contem 0,9%, em massa, de NaCl em água destilada, ou seja, cada 100mL da solução aquosa contém 0,9 gramas do sal.

Tem ampla utilização no meio médico 5, Cloreto de benzalcônio é uma amônia quaternária composta, comumente usada para prevenir a contaminação bacteriana e preservar a atividade farmacológica em diversas produtos como cosméticos, “sprays” nasais, soluções oftalmológicas etc 6,7,8,9,

  • O objetivo deste trabalho é comparar conservação do soro fisiológico sem conservantes em geladeira doméstica e no ar ambiente (com e sem vedação) com soluções salinas com conservantes (cloreto de bezalcônio).
  • Materiais e Métodos Culturas qualitativas seriadas de amostras de soro fisiológico sem conservantes e soluções salinas com conservantes (cloreto de benzalcônio).

Foram testadas 10 amostras de soro fisiológico. Cinco delas acondicionadas numa geladeira doméstica comum à temperatura de 4-7°C, sendo duas com o recipiente ocluído com micropore e três sem oclusão. As demais foram guardadas à temperatura ambiente numa média de 22-30°C, também ocluindo o recipiente de dois deles.

Três recipientes ficaram sem oclusão do recipiente. Três amostras de solução salina com cloreto de benzalcônio de produtos encontrados no mercado foram utilizadas. Coletados 5 ml de cada uma das amostras, sendo tomadas medidas para não haver contaminação externa (uso de chama na bancada, máscaras e gorro pelo coletor).

Coletas semanais foram realizadas até completar quatro semanas. Todo o material obtido foi levado para cultura qualitativa no Laboratório de Microbiologia da Patologia Clínica. No Laboratório de Microbiologia as amostras foram inoculadas com 5 ml de caldo Trypticase soja em capela de fluxo laminar para evitar contaminação.

As amostras foram levadas para estufa 37 o C por 7 dias, com inspeção diária e bacterioscopia das amostras turvas e posterior semeadura em caso de confirmação de crescimento em placas de ágar sangue, As amostras negativas permaneceram mais 7 dias em temperatura ambiente para observação de eventual crescimento tardio de fungos filamentosos.

Os recursos disponíveis para identificação bacteriana são técnicas manuais preconizadas pela ANVISA e de automação pelo sistema VITEK Bio Merieux 10, As amostras foram nomeadas da seguinte forma:

Código Tipo de amostra
C1 SF com Conservante, marca 1
C2 SF com Conservante, marca 2
C3 SF com Conservante, marca 3
A1T SF sem conservante, acondicionada em temperatura ambiente e com oclusão de recipiente – amostra 1
A2T SF sem conservante, acondicionada em temperatura ambiente e com oclusão de recipiente – amostra 2
A3A SF sem conservante, acondicionada em temperatura ambiente e sem oclusão de recipiente – amostra 3
A4A SF sem conservante, acondicionada em temperatura ambiente e sem oclusão de recipiente – amostra 4
A5A SF sem conservante, acondicionada em temperatura ambiente e sem oclusão de recipiente – amostra 5
G1T SF sem conservante, acondicionada em geladeira comum e com oclusão de recipiente – amostra 1
G2T SF sem conservante, acondicionada em geladeira comum e com oclusão de recipiente – amostra 2
G3A SF sem conservante, acondicionada em geladeira comum e sem oclusão de recipiente – amostra 3
G4A SF sem conservante, acondicionada em geladeira comum e sem oclusão de recipiente – amostra 4
G5A SF sem conservante, acondicionada em geladeira comum e sem oclusão de recipiente – amostra 5

Resultados Os resultados das culturas estão na tabela abaixo:

0 7dias 14 dias 21 dias 28 dias
Amostra
C1 Neg Neg Neg Neg Neg
C2 Neg Neg Neg Neg Neg
C3 Neg Neg Neg Neg Neg
A1T Neg Neg + 1 Neg Neg
A2T Neg Neg Neg Neg Neg
A3A Neg Neg Neg Neg Neg
A4A Neg Neg Neg Neg Neg
A5A Neg Neg Neg Neg Neg
G1T Neg Neg + 2 Neg Neg
G2T Neg Neg Neg Neg Neg
G3A Neg Neg Neg Neg + 3
G4A Neg Neg Neg Neg Neg
G5A Neg Neg Neg Neg Neg

Tabela 2 – Resultados das culturas nos períodos da coleta 1- crescimento de Bacillus sp 2- crescimento de Bacillus sp 3- crescimento de Staphylococcus coagulase negativo Em nosso estudo, foi notada contaminação da solução fisiológica em 3 momentos: a.- A1T= SF sem conservante, acondicionada em temperatura ambiente e com oclusão de recipiente, apenas na amostra após 14 dias, sendo negativa nas amostras seguintes com 21 e 28 dias; b.- G1T= SF sem conservante, acondicionada em geladeira comum e com oclusão de recipiente, amostra após 14 dias, sendo negativa nas amostras seguintes com 21 e 28 dias; c.- G3A= SF sem conservante, acondicionada em geladeira comum e sem oclusão de recipiente na amostra de 28 dias.

  • Nas demais amostras não foi detectada contaminação após 28 dias.
  • Discussão As soluções salinas são muito utilizadas na prática medica, principalmente na otorinolaringologia 11,12,
  • Em crianças menores de um ano de idade é o medicamento mais utilizado 11,
  • Por sua ampla utilização em no meio médico 1,5,6,13,14, diversos produtos foram criados pela indústria farmacêutica com a finalidade de preservar o soro estéril por bastante tempo.
See also:  Qual A Capital Da Espanha?

Um dos produtos mais utilizados é o cloreto de benzalcônio, entretanto alguns trabalhos mostram que esta substancia pode causar hiperplasia da mucosa nasal, além de piorar rinite medicamentosa 6-9, Outros produtos surgiram no mercado que não possuem cloreto de benzalcônio, como filtros de prata nos aplicadores nasais que impediriam a contaminação da solução.

A contaminação isolada de duas amostras por Bacillus sp (A1T e G1T) sugere contaminação pelo manuseio de coleta ou processamento, pois as amostras posteriores permaneceram negativas e o gênero Bacillus é esporulado e agente de contaminação ambiental. Amostras mantidas abertas não apresentaram contaminação.

A amostra G3A contaminada na ultima coleta sugere contaminação pelo manuseio da amostra, pelo tipo de microrganismo, Staphylococcus coagulase negativos, comumente encontrado nas mãos. Os demais frascos sem conservantes, mantidos ou não em geladeira, ocluídos ou não apresentaram contaminação após 28 dias de estudo.

  1. O presente estudo sugere que a amostra de soro fisiológico não se contamina com facilidade do ponto de vista de conservação, pois o soro fisiológico não suporta crescimento de microrganismos por não conter substrato orgânico.
  2. Na prática de uso do produto a matéria orgânica poderia ser introduzida por uso indevido, pela aspiração de secreções nasais e assim oferecendo o substrato para o crescimento bacteriano.

Conclusão Não há contaminação do soro fisiológico mesmo quando ficar aberto em ar ambiente por até 28 dias, desde que se mantenha condições assépticas no seu uso. Referências Bibliográficas 1. Tomooka LT, Murphy C, Davidson TM. Clinical study and literature review of nasal irrigation.

  1. Laryngoscope.2000;110(7):1189-93.2.
  2. Brown CL, Graham SM.
  3. Nasal irrigations: good or bad? Curr Opin Otolaryngol Head Neck Surg.2004 ;12(1):9-13 3.
  4. Bachmann G, Hommel G, Michel O.
  5. Effect of irrigation of the nose with isotonic salt solution on adult patients with chronic paranasal sinus disease.
  6. Eur Arch Otorhinolaryngol Head Neck Surg; 2000; 257(10):537-41.4.

Kim CH, Hyun Song M, Eun Ahn Y, Lee JG, Yoon JH. Effect of hypo-, iso- and hypertonic saline irrigation on secretory mucins and morphology of cultured human nasal epithelial cells. Acta Otolaryngol.2005;125(12):1296-300.5. Wormald PJ, Cain T, Oates L, Hawke L, Wong I.

A comparative study of three methods of nasal irrigation. Laryngoscope.2004;114(12):2224-7.6. Graf P. Benzalkonium chloride as a preservative in nasal solutions: re-examining the data. Respir Med.2001;95(9):728-33.7. Marple B, Roland P, Benninger M. Safety review of benzalkonium chloride used as a preservative in intranasal solutions: an overview of conflicting data and opinions.

Otolaryngol Head Neck Surg.2004;130(1):131-41.

Bernstein IL, Is the use of benzalkonium chloride as a preservative for nasal formulations a safety concern? A cautionary note based on compromised mucociliary transport. J Allergy Clin Immunol 2000; 105: 39-44. Kuboyama Y, Suzuki K, HaraT. Nasal lesions induced by intranasal administration of benzalkonium chloride in rats. J Toxicol Sci1997; 22: 153-160.

10. ANVISA. www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/microbiologia,11. Garavello W, Romagnoli M, Gaini RM. Hypertonic or isotonic saline for allergic rhinitis in children. Pediatr Allergy Immunol.2005;16(1):91-2.12. Boiko PE. Allergic rhinitis. N Engl J Med.2006 16;354(11):1205-6.13.

Como armazenar soro fisiológico para lavagem nasal?

Pediatra do HSVP orienta sobre a lavagem nasal –

07/08/2022

Pediatra do HSVP orienta sobre a lavagem nasal Técnica é recomendada para crianças com sintomas gripais ou alergias Nesta época do ano, devido às baixas temperaturas, gripes e resfriados são frequentes entre as crianças que também sofrem de congestão nasal.

  • Como muitas delas não conseguem assoar o nariz sozinhas, problema que poderia ser facilmente resolvido, a rotina escolar e de lazer acaba prejudicada.
  • Por isso, a lavagem nasal com soro fisiológico 0,9% interessa muito aos pais.
  • No Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo é comum os médicos esclarecerem dúvidas sobre a forma correta e os benefícios da técnica.

O pediatra Marcos Vinicius Dalla Lana conta que a lavagem nasal ganhou muitos adeptos por se tratar de uma forma natural de descongestionamento. “É ótima para os pais que não aguentam mais verem seus filhos com o nariz escorrendo e com dificuldades de respirar, especialmente agora que estão circulando diversos vírus que causam aumento de secreção nasal”.

  • O pediatra do HSVP disse que a preocupação é maior porque estamos passando por um período de transição pós-pandemia onde, agora, as crianças começam a se contaminar com a gripe.
  • Neste ano tivemos uma onda forte de gripe e outros vírus que atingem as vias aéreas, com destaque para o sincicial respiratório, que é um grande causador de bronquiolite.

Devemos ficar atentos, pois essa é uma doença grave e inicialmente não tem muito a ser feito a não ser a própria lavagem nasal”. Qualquer pessoa que sofre de congestão nasal pode utilizar a técnica para alívio dos sintomas da gripe, resfriados, rinite e sinusite.

  1. Segundo o especialista, a lavagem em adultos e crianças deve ser feita ao menos duas vezes ao dia, na parte da manhã e à noite.
  2. O nariz é a porta de entrada de muitos contaminantes, então esse método é muito bom para quem é alérgico.
  3. A limpeza nasal, rotineiramente, ajuda a retirar possíveis alérgenos e fatores que irritam ou pioram os sintomas”.

Além da desobstrução nasal, um outro benefício da lavagem é que ela ajuda a prevenir problemas respiratórios mais graves. De acordo com Dalla Lana, as secreções que ficam paradas no nariz são um meio de cultura para bactérias. “Uma bactéria que está ali quietinha no seu nariz pode de repente ter uma grande quantidade de alimento, se reproduzir e provocar uma infecção.

Assim, crianças maiores podem desenvolver uma sinusite e as menores a otite, ambas infecções tratadas com ajuda de antibiótico. Para mim está muito claro que se existe uma secreção entupindo o nariz, ela precisa ser retirada”. O pediatra também recomenda a lavagem nasal para tratar a tosse com catarro das crianças que, geralmente, têm crises noturnas.

“O catarro que é expelido é muito menor que aquele que fica no organismo irritando a nossa mucosa, por isso a criança tosse sem parar. A piora acontece à noite por uma questão de posição, pois quando deitamos esse catarro escorre e fica incomodando nosso trato respiratório.

Acredite, a lavagem tem mais efeitos que xaropes e chás para a redução da tosse”. O Dr. Marcos Vinicius Dalla Lana explica que existem várias técnicas para execução da lavagem nasal, mas considera mais efetiva o uso de soro na seringa. “Para não machucar a criança, recomendo colocar a cabeça dela mais de lado e entrar com seringa inclinada, de preferência com a boca aberta.

Já a quantidade de soro depende da idade, em bebês recém nascidos o ideal é usar sorinho em jatos ou 1 ml de soro 0,9% que pode ir aumentando com o passar do tempo de vida. Um adulto, por exemplo, usa 20 ml”. O médico do HSVP esclarece sobre a armazenagem da solução fisiológica que, após aberta, tem validade de até 28 dias.

  • O soro precisa estar em bom estado de conservação, incolor e sem odores.
  • Quem quiser utilizar a geladeira para armazenamento pode, mas para fazer a lavagem o soro precisa estar em temperatura ambiente.
  • Não pode ser quente porque vai machucar a mucosa do nariz e nem gelado para piorar a obstrução”.
  • É importante salientar que somente o soro fisiológico 0,9% pode ser utilizado na limpeza nasal, sendo extremamente proibido a mistura de outros produtos como a água oxigenada.

Ainda, para auxiliar os pais, as farmácias comercializam várias marcas de seringas com adaptadores na ponta que não machucam o nariz e facilitam a limpeza. Também existem alguns modelos divertidos, com temas infantis, que são bem aceitos pelas crianças.

Pode tomar água enquanto toma soro na veia?

No tratamento da dengue, da chikungunya e da zika a hidratação pode salvar vidas. Sentiu os primeiros sintomas, tome bastante líquido e procure o seu médico. Pode-se ingerir todo tipo de líquido, menos as bebidas alcoólicas. Beber, água, suco, mate, chá ou o soro caseiro podem impedir ou desacelerar o avanço da doença. Dissolva uma colher de sopa de açúcar e 1 colher do tipo cafezinho de sal em um litro de água mineral filtrada ou fervida (mas já fria). Misture bem e depois beba em pequenos ou goles ou em pequenas colheradas; Fique atento para não errar as medidas do soro. Para saber mais sobre a importância da hidratação no tratamento da dengue, clique aqui e leia a matéria “Hidratação: beber líquidos pode salvar a vida”.

Porque o soro tem que ficar no alto?

Olá. Sim, é necessário que o soro fique em um nível mais alto, pois é gravitacional. Se o soro estiver no colo do paciente ou em um nível mais baixo, o sangue começará a retornar para dentro do soro, com isso, o paciente não irá receber a medicação.

Pode lavar o nariz com soro fisiológico gelado?

Lavar o nariz com soro gelado: Portanto, ao usar o soro fisiológico gelado na lavagem, estes cílios terão seus movimentos prejudicados. Além disso, o soro gelado traz dor e irritação dentro do nariz. Concluindo: Realize a lavagem nasal com soro em temperatura ambiente ou levemente morno.

See also:  Quanto Rende 70 Mil Na PoupanA Por MêS?

Pode ferver o soro fisiológico?

Você guarda o soro fisiológico na geladeira e depois fica na dúvida se pode aquecer o soro fisiológico para lavar o nariz, se pode esquentar o soro no microondas? Você pode e deve esquentar o soro fisiológico antes de usar.

Pode fazer inalação com soro gelado?

Para quem tem rinite, nebulização com soro gelado descongestiona o nariz? Usar o soro gelado não é recomendado, porque isto faz com que o nariz tenha que fisiologicamente aumentar o seu desempenho, o que pode até piorar a obstrução. Realmente, o correto para tratar e prevenir a é a limpeza nasal de duas a três vezes por dia com soro fisiológico, mas em temperatura ambiente.

Aplique o líquido nas narinas até limpar bem. Isto retira sujeiras e umidifica o local, melhorando o desempenho das funções do nariz de purificar, umidificar e aquecer o ar inspirado. Também pode-se usar sprays comprados em farmácias e que vêm em uma embalagem que mantém o soro estéril. Eles proporcionam um jato mais forte e contínuo, porém o custo é mais alto.

Independentemente da escolha, o importante é usar o líquido em flaconetes, que têm a quantidade certa para a lavagem e é descartado em seguida. Algumas pessoas preferem comprar os frascos maiores de soro, mas depois de aberto será necessário guardá-lo na geladeira para evitar contaminação.

E como o soro deve ser usado sempre na temperatura ambiente ou próximo da nossa temperatura corporal, isso acaba dificultando o aproveitamento do líquido. Daí a importância do flaconete, Quanto aos descongestionantes vendidos em farmácias, não use sem recomendação médica. Esses tipos de medicamentos, quando usados por longos períodos, levam ao chamado efeito rebote, ou seja, depois de um tempo, o nariz volta a ficar entupido.

Além disso, quando usados por mais de 2 ou 3 dias ou em um período maior do que a orientação do otorrinolaringologista, também podem causar doenças cardíacas, aumento de pressão arterial,, perfurações septais e sangramentos no nariz. A rinite é um processo de inflamação da mucosa do nariz que leva principalmente à obstrução nasal, e ao prurido.

Sua causa pode ser alérgica, por contato com algum elemento que leve ao problema, como o ácaro, por exemplo, ou não alérgica, nos casos de mudança de temperatura, irritações por produtos químicos ou pelo contato com vírus e bactérias que causam os sintomas mencionados. É sempre importante consultar seu otorrinolaringologista para tratamento e orientações adequadas.

Mas, no dia a dia, além da limpeza nasal com soro fisiológico, para quem tem rinite alérgica é importante também saber o alérgeno que causa o problema e evitar o contato com estes elementos. Se o nariz entope por conta de ácaros, troque as roupas de cama a cada semana e mantenha a casa sempre arejada.

  • Para quem tem rinite causada pelo pólen, deve-se evitar secar roupas de cama no varal, para não juntar no tecido os grãos que vem das flores.
  • Já os animais de estimação devem sempre ficar longe do quarto onde se dorme.
  • Ou seja, o importante realmente é saber que tipo de rinite você tem e, para isto, é necessária uma avaliação médica.

Fontes: Eduardo Baptistella, médico otorrinolaringologista e presidente da ABORL-CCF (Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial); Norma Penido, coordenadora de equipe de otorrinolaringologia do Hospital 9 de Julho, em São Paulo e livre-docente da EPM/Unifesp (Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo); Fernão Costa, otorrinolaringologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Pode fazer nebulização só com água?

Usar somente soro fisiológico (0,9%). Não devem ser usados: água destilada, soro glicosado ou outros líquidos ou soluções.

Pode fazer a limpeza do nariz com água?

Água e sal – A lavagem nasal convencional é feita apenas com água e sal. Aqueça 200 mililitros de água potável e misture uma colher de chá de sal. A solução salina feita dessa mistura deve ser colocada em um irrigador nasal apropriado, e você deve repetir o procedimento nas duas narinas.

Pode congelar o soro fisiológico?

De acordo com Russel e Roussel (2007), a estabilidade dos analitos varia, mas a maioria é estável em temperatura de refrigeração (4 ºC) por 24 a 36 horas, e, se um prazo mais longo for necessário antes que a amostra possa ser processada, o soro pode ser congelado a -20 ºC, pois o congelamento tem míninos efeitos sobre

Porque o soro tem que ficar no alto?

Olá. Sim, é necessário que o soro fique em um nível mais alto, pois é gravitacional. Se o soro estiver no colo do paciente ou em um nível mais baixo, o sangue começará a retornar para dentro do soro, com isso, o paciente não irá receber a medicação.

O que acontece se entrar ar na mangueira do soro?

Como identificar, tratar e prevenir a embolia gasosa relacionada a cateteres venosos centrais?

  • À beira do leito
  • Medicina Baseada em Evidências
  • COMO IDENTIFICAR, TRATAR E PREVENIR A EMBOLIA GASOSA RELACIONADA A CATETERES VENOSOS CENTRAIS?

A embolia gasosa é um risco potencial de qualquer acesso venoso central, sendo uma rara, porém grave complicação, com uma taxa de mortalidade relatada de 30 a 50%. Deve ser suspeitada em qualquer paciente com cateter venoso central que subitamente desenvolva hipoxemia inexplicável ou colapso cardiocirculatório.

  1. O ar pode entrar na veia diretamente pela agulha de punção, durante a permanência do cateter na veia central, por desconexão ou fratura do cateter, e durante a sua retirada, pelo trajeto no subcutâneo.
  2. A quantidade de ar estimada para produzir o quadro de embolia gasosa significativa é entre 300 e 500 ml de ar, numa taxa de 100 ml/segundo.

Porém, quantidades menores podem ser fatais nos pacientes gravemente enfermos e com reserva cardiopulmonar limitada. A interação do sangue com ar desencadeia agregação de plaquetas, hemácias e glóbulos de gordura às bolhas de ar, promovendo obstrução de vasos pulmonares, com conseqüente aumento da resistência vascular, redução da complacência pulmonar e hipoxemia grave, assim como instabilidade hemodinâmica concomitante, relacionada a hipertensão pulmonar aguda.

  1. A embolia gasosa pode manifestar-se por dispnéia súbita, ansiedade, tonturas, náuseas, e sensação de morte iminente, ou dor retroesternal.
  2. Sinais neurológicos como confusão, obnubilação e perda da consciência podem ocorrer imediatamente.
  3. Estes mesmos sinais podem ser secundários a hipóxia cerebral, pela hipoxemia e instabilidade hemodinâmica sistêmica, ou por isquemia, pela passagem de ar na circulação arterial sistêmica causando embolia arterial cerebral.

Condições que reduzem a pressão venosa central predispõem à embolia gasosa, incluindo a taquicardia, hipovolemia e a cabeleira elevada, assim como as que incrementam a pressão negativa intratorácica, como a hiperventilação. Os pacientes com suspeita de embolia gasosa devem ser imediatamente posicionados em decúbito lateral esquerdo e com a cabeça abaixada (posição de Trendelemburg), colocando desta maneira a via de saída do ventrículo direito em uma posição inferior à cavidade ventricular direita, facilitando a migração do ar para a porção mais elevada.

A aspiração de ar do ventrículo direito pode ser tentada se o cateter estiver posicionado, porém não se justifica a passagem de outro cateter apenas para este fim. Para reduzir o tamanho das bolhas, todos devem ser colocados em oxigênio a 100%. Os que não respondem a estas medidas, a oxigenioterapia hiperbárica deve ser considerada, reduzindo o tamanho das bolhas pela difusão do nitrogênio induzida pelo alto PO 2 alveolar.

A prevenção da embolia gasosa é essencial. Tanto a colocação quanto a retirada dos cateteres venosos centrais devem ser realizadas em decúbito dorsal e em posição de Trendelemburg, aumentando a pressão venosa. Na retirada, o orifício de entrada na pele deve ser imediatamente ocluído.

  1. LUÍZ FRANCISCO POLI DE FIGUEIREDO
  2. ANTÔNIO CAPONE NETO
  3. Referências

1. Muth CM, Shank ES. Gas embolism. N Engl J Med 2000;342:476-82.2. Chamorro C, Romera MA, Pardo C. Gas Embolism. N Engl J Med 2000; 342: 2001-2 3. Heckmann JG, Lang CJ, Kindler K, Huk W, Erbguth FJ, Heundorfer H et al. Neurologic manifestations of cerebral air embolism as a complication of central venous catheterization.

O que acontece se entrar ar no soro?

Conceito de embolia gasosa – Com certeza você já ouviu falar que é possível matar uma pessoa injetando ar em sua corrente sanguínea. Diante dessa afirmação, é comum que as pessoas sintam-se amedrontadas todas as vezes que vão tomar uma injeção ou colocar soro na veia, entretanto, nesses procedimentos, os riscos são praticamente nulos.

  • A chamada embolia gasosa, também conhecida como embolia por gás, é a obstrução dos vasos sanguíneos em decorrência da presença de bolhas em artérias e veias,
  • Essa condição, apesar de rara, gera mortes em, aproximadamente, 30% dos casos e está associada normalmente a procedimentos médicos, tais como craniotomia, angiografia, ventilação mecânica, cesariana e procedimentos com circulação extracorpórea.

Além disso, pode ocorrer embolia gasosa em acidentes de mergulho, em que pode acontecer a expansão do ar retido nos pulmões do mergulhador no momento da subida. Essa expansão ocorre em razão da diminuição da pressão à medida que ocorre a subida para a superfície.

Pode deixar ar entrar na veia?

O ar pode entrar na veia diretamente pela agulha de punção, durante a permanência do cateter na veia central, por desconexão ou rachadura na extensão do cateter, durante a sua retirada, pelo trajeto no subcutâneo.

Adblock
detector